• Wandeth Gonzo

Quem é Lilith?

Atualizado: 7 de fev.



Lilith é uma figura extremamente controversa. O nome de Lilith não está incluído na história da criação do primeiro testamento ou Torá, mas ela aparece em vários textos religiosos e históricos. Seu simbolismo, história e literatura são debatidos entre acadêmicos, feministas e outros intelectuais. Existem várias histórias de origem para Lilith, mas a história mais popular contada vê Lilith como a primeira esposa de Adam.

De acordo com a história da "primeira Eva", Lilith foi criada por Deus do pó e colocada para viver no jardim com Adão até que problemas surgiram entre Adão e Lilith quando Adão tentou exercer domínio sobre Lilith. Uma história conta que Lilith se recusou a ficar embaixo de Adam durante o sexo. Ela acreditava que eles foram criados iguais, ambos do pó da terra, portanto, ela não deveria ter que se deitar abaixo dele. Depois que Adam discordou, Lilith fugiu do Jardim do Éden para obter sua independência. Adam disse a Deus que Lilith tinha partido e Deus enviou três anjos, para recuperá-la.


Os três anjos encontraram Lilith em uma caverna com filhos, mas Lilith se recusou a voltar para o jardim. Os anjos disseram a ela que matariam 100 de seus filhos todos os dias por sua desobediência. Como vingança, dizem que ela rouba a vida de crianças e é responsável pelas mortes de bebês natimortos e berços (SIDS). Crianças do sexo masculino correm o risco da ira de Lilith por 8 dias após o nascimento (até a circuncisão) e as meninas correm risco de 20 dias. Embora Lilith tenha roubado a vida de crianças durante a noite, ela concordou em não matar as crianças que tinham amuletos de qualquer um dos três anjos.

Após a partida dos anjos, Lilith tentou retornar ao jardim, mas ao chegar descobriu que Adão já tinha outra companheira, Eva. Por vingança, Lilith fez sexo com Adam enquanto ele dormia e "roubou sua semente". Com sua semente, ela carrega 'lilium', demônios terrestres para substituir seus filhos mortos pelos anjos. Lilith também é considerada responsável pelos sonhos eróticos e emissões noturnas dos homens. Outra teoria diz que Lilith está engravidada, criando assim mais demônios pela masturbação e sonhos eróticos.

Lilith era vista principalmente como um demônio em vez da "primeira Eva". Devido à ambigüidade de Lilith, ela foi representada de várias formas na literatura e na arte. Alguns estudiosos da teologia reconhecem Lilith como a "primeira Eva", enquanto outros ainda a vêem como um demônio. Historicamente na arte, Lilith foi retratada de várias maneiras, desde versões picantes até Lilith no jardim.


A natureza aberta do símbolo de Lilith permitiu que diferentes grupos a usassem como um símbolo feminino destrutivo ou um símbolo do poder feminino. Muitas feministas veem Lilith não apenas como a primeira mulher, mas a primeira mulher independente criada. Na história da criação, ela se recusa a permitir que Adão a domine e foge do jardim, apesar das consequências. Para manter sua liberdade, ela deve desistir de seus filhos e, em retaliação, ela rouba a semente de Adão. Em um relato desta história, Lilith é dito "montar Adão". Esta versão da história implica que Lilith violou sexualmente Adam; no entanto, outras histórias retratam Lilith como um demônio que mata crianças e se aproveita dos homens enquanto eles dormem. A lei judaica proíbe o derramamento da semente de um homem e Lilith tira vantagem disso, durante a masturbação e sonhos eróticos, e usa isso para reabastecer sua própria descendência.

Embora Lilith seja controversa, algumas feministas a usaram como um símbolo de empoderamento. Apesar das quedas de Lilith, ela ainda permanece um símbolo de poder simplesmente por sua sobrevivência e mistério. Ela está aberta à interpretação e, portanto, permite que as mulheres reinterpretem seu simbolismo e poder dentro da tradição.

2 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo